Olhar em grande estilo

Foto: Miguel A. Lopes (Lusa)

A nostalgia é uma coisa estranha, selvagem, sedutora. E perigosa.

Danny Boyle, E, 17.02.25

 

Se há atitude que admiro nas pessoas que estão na vida pública é a coragem; em dose certa e na hora certa.

E há pessoas que sabem bem dosear a coragem; mesmo em momentos mais quentes.

Graça Fonseca, a nova ministra da Cultura no governo do senhor Costa, é um excelente exemplo de coragem. Política e de defesa de ideias.

A forma como Graça Fonseca defendeu o fim da “isenção fiscal para artistas tauromáquicos” foi de pessoa de coragem: não é uma questão de gosto. É uma questão de civilização.

Volto ao inico: Se há atitude que admiro nas pessoas que estão na vida pública é a coragem; em dose certa e na hora certa.

 

Nota de rodapé 1 – A forma como Manuel Alegre se insurgiu contra a atitude de Graça Fonseca foi, para mim, uma tremenda desilusão.

Nota de rodapé 2 – Já foi criada uma petição contra a ministra da cultura. São os mesmos tipos que bajulam as memórias violentas nas arenas da Roma antiga?

Anúncios

Áreas pouco protegidas

foto; expresso

Cavaco Silva

De ressentimento e inconfidências se faz o seu pôs-presidência. Vender o alto conceito que tem de si é prioridade que atropela tudo o mais.

Pedro Cordeiro, E, 18.10.27

Aroma provocatório

Foto commons.wikimedia.org

Todos os hábitos do Homem são perversos. E, acima de tudo, nenhum animal dever tiranizar os seus semelhantes.

George Orwell, in Quinta dos Animais

 

A história repete-se: o Quadrilátero Urbano quer o tramway (na foto; o de Dijon).

Ah! Este meio de transporte “devia estar nos planos do governo na rubrica da mobilidade elétrica e condução autónoma” e não está.

E devia “estar nos planos do governo” do senhor Costa.

Quem volta a falar deste meio de transporte é Domingos Bragança que, na última quinta-feira acrescentou uma novidade – há muito que se sabia que tinha que ser assim – este meio de transporte que “circula numa infraestrutura de trilhos mais simples” que os do metro, terá que ligar os territórios do Quadrilátero Urbano, isto é, Barcelos, Braga, Guimarães e Vila Nova de Famalicão.

Só não entendi o senhor presidente de câmara de Guimarães quando falou em grande área metropolitana do minho. Então senhor presidente! E a Galiza, isto é, o Eixo Atlântico?

Viajando no cinzento do asfalto

nbnvbvb

O discurso do Major levara os animais mais inteligentes a encararem a sua existência sob uma perspetiva completamente nova.

George Orwell, in Quinta dos Animais

 

O melhor que tens a fazer é pedir a minha misericórdia – não fazemos mesmo a ideia onde te meteste!

Pesado líbido – há peças sensíveis, pois há?

Se há! Tens toda a razão quando falas em pesado líbido, sabes?

Porquê?

Calma! Olha par este desabafo de João Cancela (Público, 18.10.19): sabemos que a realização de eleições no mesmo dia é um indutor da participação.

Não percebi!

Não? A sério? Olha com toda a atenção do mundo, para esta afirmação deste senhor: quando um governo vai á prata da casa e encontra as fidelidades pessoais ao chefe chamamos-lhe regeneração. (José Adelino Maltez, Expresso, 18.10.20)

Mesmo no centro das preocupações que até parecem romper o isolamento de uma casa vestida de memórias quentes…

…ou de uma vida provisória!

Claro! Quem adora envelhecer sentido distâncias?

Ficamos então?

Claro! A não ser que te tenhas esquecido de que a denúncia da estabilidade sempre foi o salto para escapar.

Atração pelo abismo

Foto: RTP

Lembrem-se também de que, ao combatermos contra o Homem, não devemos cair no erro de nos assemelharmos a ele. Mesmo depois de derrotarem, camaradas, não lhes adotem os vícios.

George Orwell, in Quinta dos Animais

 

O melhor que tens a fazer é pedir a minha misericórdia!

Tás parvo!

Estou? A cabine telefónica continua avariada; não há movimento algum.

Fragmentação da experiência; fragilidade de escrever contra o silêncio! Não é isto o que Ana Sá Lopes – editorial, Público, 18.10.19 – nos quer dizer? O governo manda, o parlamento obedece. O sistema tem funcionado assim, num torpor instalado que é o avesso do espírito da Constituição.

Calma! Frui a música; ajuda tanto à alma. Serena.

A noite nunca foi boa companheira de tipos feitos mediadores da realidade dos nossos dias que insistem em afirmar que a cabine telefónica está avariada. Adoram é devolver os olhares de quem procura a liberdade.

Calma! – outra vez. Se atenderes como só tu sabes a esta afirmação da diretora-adjunta do jornal Público já não é a primeira vez que Vieira da Silva decide o que acha que deve decidir mostrando o seu desprezo pelo parlamento, partido socialista e parceiros do governo. (Ana Sá Lopes, editorial, Público, 18.10.19) – perceberás como já não há cabines telefónicas em funcionamento. Seja no governo do senhor Costa, seja no parlamento.

Arriscar em palco ou outra realidade?

Foto: Lusa

O último relatório da OIT [Organização Internacional do Trabalho] fala de salários estagnados e baixos em relação à média europeia, com generalização do trabalho precário, apesar de jovens cada vez mais qualificados.

É esta a realidade do emprego em Portugal.

Quem escreve é Valdemar Cruz, fazendo a sua semana em revista na revista E, 18.10.20