jamais o silêncio

Os nossos insuficientes políticos não estão capacitados para saber o que deviam saber.

Clara Ferreira Alves, E, 19.06.22

 

Em fevereiro passado, por iniciativa própria, adormeci o meu olhar no devir.

Não foi bom nem mau; apenas uma opção. De momento.

Já passaram uns meses; tempo de uma reflexão – de reflexões capazes de mudarem tantos destinos e coisas.

 

Só que, nestes meses ‘solenes’ (no silêncio foram) o senhor Costa não parou de desiludir, fazendo de conta que os portugueses são todos seus “amigos e clientes” – ou do senhor Rio; que é como quem diz potenciais fregueses dos serviços praticados por privados em áreas onde o setor público tem que ser rei e senhor; ponto. Como forma de evitar que os desgraçados dos portugueses sejam atirados para uma qualquer urgência merdosa num país de merda como é, cada vez mais, o país de Centeno, Costa e Rio

Então o senhor Costa e o forreta (no Porto foi) do senhor Rio querem ver os portugueses; coitados, desgraçados, a sofrerem na pele a dor dos dias?

 

Se calhar podem (no olhar obtuso de Rio e Costa; pessoas que adoram engatar vontades privadas. Pela Saúde e outras coisas rentáveis). Mas, se calhar, há portugueses na merda com atitudes de uns senhores merdosos, não há?

Felizmente que, ainda falta um mês para as férias e depois sessenta dias dirão que as parvoíces de Costa, Rio e unes tipos mascarados de progressistas verão como as urnas só premeiam pessoas e não esquemas merdosos e liberais qualquer coisa.