Realismo necessário

Foto: Paulo Novais (Lusa)

Há uma crescente boçalidade nas vedetas que o mundo mediático projeta. Muito ruído, muita imagem, muito risco e pouco ou nada para acrescentar.

António Manuel Ribeiro, E, 19.01.19

 

na linha de fronteira; abrimos todas as cortinas

há, por aí e muito latente, um humor ácido; percorrendo os dias do protagonismo

do protagonismo ou das necessidades de protagonismo?

isso, isso, da necessidade de protagonismo.

do tipo este olhar bem apanhado por Pedro Cordeiro (in Do Céu ao inferno, E, 19.02.02): Marcelo rebelo de Sousasem contestar a satisfação de um católico por Lisboa ir receber as Jornadas Mundiais da Juventude, dispensava-se a mistura entre esse assunto e a putativa recandidatura a Belém.

isso, olha, assenta como uma luva

mas é preciso ter fé; muita confiança nos compadres de longa noite medieval; da história.

longa noite medieval?

sei lá! gosto, na verdade, mais destas palavras do Comendador Marques de Correia (E, 19.02.02): Ajoelhado aos pés do solitário leito, rezou fervorosamente para que as Jornadas Mundiais da Juventude viessem para Portugal. Deu o melhor dele, recitando, inclusive em latim, os Padres-Nossos devidos e, em grego, as Ave-marias requisitadas.

ah! o senhor presidente – de todos os portugueses e todos os credos, não é? – afinal quer mesmo ficar. à boleia de tudo: Tenho que ter saúde e tenho de ver se não há ninguém em melhores condições para receber o papa.

Marcelo Rebelo de Sousa, aludindo a duas condições que determinarão se ele vai cede à “grande vontade” que assume de se recandidatar, in E, 19.02.02