Com as mãos sujas

foto: filmspot.pt

As massas odeiam as elites; é o nosso credo.

Clara Ferreira Alves, E, 18.12.08

 

Numa entrevista ao Ípsilon, António-Pedro Vasconcelos considerou que “o único cinema político neste momento” é o dele. Eu fiquei estarrecido. Enquanto lia a conversa, listei Cavalo Dinheiro, As Mil e uma noites de Miguel Gomes; Colo; Fábrica do Nada, de Pedro Pinho, escreve Vasco Câmara no Ípsilon do passado dia 18.

Vi todos estes filmes e não me recordo qual foi o último que vi de António-Pedro Vasconcelos.

Ah! Se qualquer destes filmes não nos mostrar realidades doentias, violentas e dolorosas dos dias dos portugueses, então alguém vai ter que levar unes murros do Nuno Lopes, para acordar do sonho conservador.

Anúncios