Culto à natureza

O imitar dá muito a ideia do exterior.

Bento Domingues, Sol, 18.05.30

 

1. Leio o jornal bracarense Diário do Minho, na sua edição do passado dia 21 de setembro – Guimarães prepara nova candidatura a Capital Verde Europeia para 2021 – e fico a pensar como será, agora, o futuro verde de Guimarães. Não, não tenho ilusões de facilitismo (nunca as tive, mas reafirmo: acredito que Guimarães será cidade verde europeia), mas as palavras de Domingos Bragança na reunião de câmara do dia 20 de setembro deixam-me, pelo menos, uma sensação de que o facilitismo não será regra na ação: quando dizemos 2030, é bom que tenhamos presente que o horizonte para que estamos a trabalhar, de transformação, é para 2030, mas há muito trabalho.

2. Mas, lendo aquela peça jornalística saída no jornal da igreja católica bracarense, fico triste, desiludido; quase. Deixei de perceber o que é a ambição, a aposta certa. Mesmo que Domingos Bragança – a título pessoal, pelos vistos, diga que lutará sempre e fará tudo para haja consenso geral com os partidos políticos e um grande envolvimento e entusiasmo de todos os nossos concidadãos vimaranenses, de todas as instituições.

Opá!, como diria alguém. Falta aqui muita vontade ou será apenas descrédito nas realidades vimaranenses?

 

3. Não? Peço desculpa. É exagero meu. E os exageros são (sempre) para ignorar. A não ser que os objetivos que nós temos que definir, que é para lutarmos todos para os conseguirmos, porque esses objetivos obrigam a ter patamares de qualidade e a resolver problemas que temos, de imediato, senão fica tudo um bocado para amanhã, não é? E eu não quero que seja para amanhã, quero que seja para hoje.

Espero que a dificuldade de perceção seja apenas minha!

4. Por isso, fico-me por aqui: o meu desejo, já o expressei, gostaria e farei tudo para que ainda neste mandato haja uma nova candidatura. Já o expressei várias vezes, talvez em 2020, possivelmente em 2021, vamos ver, não cai o Carmo e a Trindade se não o fizermos, mas o meu objetivo é que haja uma candidatura de novo a Capital Verde Europeia, que foi tão empolgante, tão interessante, resolver tantas coisas.

Pois! Guimarães será capital verde, mas, e a candidatura é para que ano?

Anúncios