Saímos do comodismo; em dois tempos?

1.Desespero e silêncioAinda há gente com fome no minho e que não tem uma habitação digna, nem água na sua casa. Há pessoas no distrito de Braga que não têm sequer capacidade financeira para comprar óculos ou para pagar medicamentos.

Jorge Ortiga, arcebispo de Braga, na abertura do ano pastoral, 18.10.14

2.Arriscada ausência – São os jovens que não se adaptam à política? Ou é a politica que não acompanha os jovens e, logo, não se adapta às suas necessidades?, pergunta Cristina Margato (E, 18.10.20).

Realidade: há cada vez menos jovens em Portugal a ocupar os lugares na Assembleia da República.

Realidade: os jovens cada vez menos se interessam pela política, e os partidos também não consideram uma prioridade.

 

PS – Há alguma razão para tantos silêncios sobre estas realidades (e outros, na verdade!)?

Anúncios

One thought on “Saímos do comodismo; em dois tempos?

Os comentários estão fechados.