O tempo está vazio

Foto: Carlos Barria (Reuters)

Num mundo demasiado barulhento, é impossível discordar de Umberto Eco quando este ousou dizer que a opinião de um imbecil passou a valer tanto como a opinião de um sábio.

Ana Cristina Leonardo, E, 18.08.18 

Na passada quinta-feira, dia 16, os jornais americanos, não só mandaram à merda o presidente Trump, como foram capazes de lhe dizer: desça à terra, senhor! E isso – essa atitude (quase) coletiva – não deixa de ser muito importante num tempo cada vez mais oco.

Não; não é o facto de uma imprensa – que todos esperamos, livre – ter dito a um pretenso (cada vez mais, não é?) castrador de liberdades: seja profissional e respeite os profissionais; não, isso é muito pouco. O cerne da mensagem dos órgãos de comunicação social americana (finalmente!) foi: ó presidente, seja presidente de todos os americanos: olhe que o Nixon fodeu-se!

Quem duvidar é porque não leu Zeid Ra’ad al-Hussein, o alto-comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos (E, 18.08.18): a retórica anti imprensa de Donald Trump é quase um incitamento à violência.

Anúncios