sonhos diurnos

dar tempo ao verde; arrastar as mais belas

paisagens – o tamanho das nossas pegadas é enorme

pesado; tremendo. é casamento

sem filhos

 

perder as férias no meio do ruído?

as mesmas manias de sempre e o caos

de todos os dias? foi tão bom o silêncio. ali

onde conhecemos os caminhos de cor, o som e o silêncio

das ondas; transparentes pelo luar sereno

 

já chega de secura! o verde começa a despertar?

é aqui mesmo que o ave começa a voar. leve; calmo. ainda

sem conotações

para além da limpidez da água