O lugar é o futuro

 

Fixando-nos em latitudes muito portuguesas, podemos hoje perceber que há uma preocupante hegemonia de uma subcultura e de tudo o que opera no sentido do abaixamento e da degradação.

António Guerreiro, Ípsilon, 15.11.13

A criatividade eleva as pessoas; seja onde for e em que circunstâncias for. Um criativo muda tudo, desde a nossa forma de olhar à nossa volta até à maneira como teimamos em manter teias de aranha no nosso pensamento. Daí que, para mim, um criativo é um dono do mundo, dos dias e das nossas ilusões. Ele faz e desfaz coisas do outro mundo e muda-nos no olhar, no sentir e no agir.

 

Ora toda esta conversa feita criatividade vem a propósito do que um criativo fez ali em Creixomil, do outro lado da rulote de venda de kebabes. Ora vejam lá a foto (está pouco criativa, eu sei! Foi feita à noite e o telemóvel não é uma máquina… fotográfica). Não é uma obra de arte? As construções no passeio foram feitas com todo o carinho e ternura e a raiz da árvore não podia ser posta em causa, pois não? Então nasceu esta beleza.

Se eu tivesse poderes na autarquia local faria tudo para condecorar esta criação.

Palavra!

Então não se pode questionar o que são obras públicas e arte? Afinal, esta beleza criativa nasceu sob o mural da vimaranense Lara Luís (lindo! diga-se; que recorda Guimarães como cidade europeia do desporto). Essa sim uma obra de arte!

 

Anúncios