território íntimo

 

aviso prévio: sou candidato à fuga; de fuga!

procuro rostos novos na noite gélida; em frente

cansei

da rotina de levar o corpo para a cama

deitar distâncias – afetos e ausências!

 

segundo aviso: num momento de pausa

ouço – que estrondo! – o teu grito de alma

é uma experiência dos labirintos brancos e de todos os olhares

rostos e corpos cansados!

 

outro aviso: sozinho na multidão; palavras. prontas!

acordando o desejo do silêncio nos ombros.

 

último aviso: será que os magníficos de outros tempos

estão por aí

 

sei lá! nunca ouvia penetrar

territórios íntimos.

 

Anúncios