Salário do medo; uma terra inesperada

É uma pena que os nossos autarcas não pensem que são de facto as Pequenas Coisas que melhoram a nossa qualidade de vida como, por exemplo, termos uma cidade em que qualquer cidadão com problemas de mobilidade se possa deslocar autonomamente. Ou termos uma rede de transportes no concelho eficiente, que permite, a quem não vive na cidade, poder usufruir da vida social e cultural da cidade. Pequenos exemplos de pequenas coisas. E já que falamos em cultura, e numa cidade que já foi Capital Europeia da Cultura, porque não uma política real de proximidade para o desenvolvimento de novos públicos e uma aposta na educação artística/cultural de novos e adultos? Ah, o que eu não gostava de ver num grande outdoor CULTURA PARA TODOS!

Luísa Alvão, Duas Caras, 17.08.30