O que faz o tempo!

Ladrão: nome vulgar para um indivíduo com sucesso em obter a propriedade dos outros.

Ambrone Bierce, escritor norte-americano

 

Pode não parecer a alguns leitores com orelhas quentes, mas tenho alguns amigos que vão dizendo – nunca me ditaram ao ouvido, como agora está na moda [claro que estou só a pensar em SMS que alguns assessores escrupulosos fazem chegar aos telemóveis de uns quantos jornalistas – que nas eleições; todas as eleições,

 

os candidatos são sempre iguais.

(Há tanta gente a morrer na praia e tantos postulantes que já pegam no barco – que têm ou lhe foi atribuído – para chegar a bom porto, nos remos e, principalmente, nas boias; prontas.)

 

São sempre os vencedores!

(Infelizmente, na praia, nem sempre os corpos são belos e vistosos como nos outdoors pagos a peso de ouro – um peso de ouro pago com compromissos futuros que esvaziam cofres) – para aguentarem os coletes de salvação.)

 

Como é demais evidente,

estou a léguas da realidade-promo-eleitoral-ou-quem-sabe-alguém-que-faz-de-conta-que-o-povo-não-percebe, mas atenção,

(não venham agora os senhores que tudo fazem para controlar vontades politicas com máquinas infernais

 

dizer o que se faz perante um pedaço negro de mural que normalmente são as suas campanhas)

dizer com se faz no silêncio da urna; ali não consta que haja chaves de cemitérios.